Fisiculturismo natural | A modalidade dos atletas que não usam esteróides anabolizantes tem futuro?

Uma das figuras mais lendárias da história do fisiculturismo, Arnold Schwarzenegger, fez críticas e alertou em palestra sobre o uso excessivo de anabolizantes dentro do bodybuilding. Se até mesmo a lenda de competições como o Mr. Olympia e Mr. Universo destaca os riscos do uso indiscriminado dessas substâncias, chegou a hora dos atletas repensarem as suas escolhas e optarem por outros caminhos que levem o seu corpo a um nível superior.

Quando se trata dos palcos de competição, a maioria das pessoas se acanham ao se imaginar estando neste lugar. Entretanto, nos dias atuais, para competir não é mais necessário ser aquele “monstro” enorme. O fisiculturismo natural tomou grandes proporções desde quando surgiu, em meados de 1990, e tem como princípio o desenvolvimento corporal, sem a utilização de substâncias hormonais proibidas.

Apesar das claras desvantagens do uso de determinadas drogas no esporte, a ideia do fisiculturismo natural ainda está começando a se consolidar no Brasil. No entanto, será que vale a pena para o esportista se tornar um fisiculturista sem usar essas substâncias – apostando apenas nos treinos pesados e na dieta regrada? Vamos discutir essas questões mais abaixo, mas antes precisamos entender o que é o fisiculturismo natural.

Fisiculturismo tradicional X Fisiculturismo Natural

Mesmo que a primeira vista pareça uma má ideia “reinventar a roda”, a nova modalidade do bodybuilding está ganhando mais visibilidade por ser possível atingir grandes resultados sem abrir mão da saúde.

O fisiculturismo natural nada mais é do que uma modalidade do fisiculturismo tradicional. Se você ainda não sabe o que é o fisiculturismo, não é tão complicado de entender. Pense em caras grandes e com corpos bem definidos, como o A. Schwarzenegger e Ronnie Coleman. Além de serem vencedores de várias competições, o shape desses atletas representa bem a ideia do esporte: crescimento muscular em massa (hipertrofiar) e baixa taxa de gordura corporal.

Para atingir a esta meta, os atletas precisam combinar treinamento pesado, exercícios aeróbicos, alimentação adequada, suplementos alimentares e, muitas vezes, o uso de drogas anabolizantes – como os esteróides, insulina, hormônios do crescimento e outras substâncias que melhoram o desempenho e potencializam a hipertrofia.

A maior parte dos bodybuilders campeões, em algum momento da sua carreira, fizeram uso dos esteróides anabolizantes. Então, o que levou a criação do fisiculturismo natural?

Além do quesito saúde – afinal, os esteróides são prejudiciais ao organismo – o movimento também teve como intuito a aceitação do público em geral e, assim, tornar popular a prática esportiva do fisiculturismo. Para isso, seria necessário afastar o esporte do doping.

Resumidamente, o fisiculturismo natural tem os mesmos objetivos que a atividade tradicional – ganho de massa ao extremo e definição muscular – sem o uso de doping, substâncias proibidas em determinados esportes. Ou seja, o fisiculturista natural precisará trabalhar duro para hipertrofiar, sem usar qualquer tipo de manipulação hormonal, que serve como “atalho”.

Quais as vantagens e desvantagens de ser um fisiculturista natural?

O principal contra de ser um fisiculturista natural é a sua desvantagem competitiva em comparação com outros atletas que fazem uso dos esteróides anabolizantes – prática bastante comum em competições como o Mr. Olympia, que leva em consideração o desenvolvimento muscular (em quesito de tamanho).

Se no fisiculturismo tradicional já é preciso muita dedicação dos competidores para modelar o corpo, quem optar pelo “naturalismo” encontrará muitas dificuldades pela frente. O atleta também precisa ter em mente que, provavelmente, não conseguirá alcançar os mesmos resultados daqueles que utilizam hormônios.

O processo de hipertrofia também será mais lento, sendo necessário muito trabalho duro e paciência para conquistar as suas metas. Outros desafios incluem uma alimentação mais regrada – com orientação de um profissional em nutrição – e uma rotina de treinos bastante rígida.

Por outro lado, as vantagens do fisiculturismo natural compensam os inconvenientes do esporte. A primeira e a maior delas é a possibilidade do bodybuilder orgulhar-se dos resultados conquistados por mérito próprio, e não por resultado de comprimidos e injeções hormonais. Essa modalidade aproxima atletas que estão dispostos a evoluir o corpo apenas com muito esforço e disciplina.

Competições de Fisiculturismo Natural

Apesar da modalidade estar crescendo no Brasil, o esporte recebe maiores investimentos lá fora, especialmente nos Estados Unidos. O atleta que quiser escolher este caminho, precisa procurar pelas federações naturais – realmente sérias – que realizam exames antidoping.

A aprovação do fisiculturismo no esporte olímpico e a sua entrada nos jogos Pan-americanos de 2019 que aconteceram em Lima, no Peru, mostra um grande avanço do esporte, que agora precisou se adequar às exigências da competição, que não aceita o uso de anabolizantes.

Conclusões

Deu para notar que a carreira de fisiculturista natural tem seus desafios, mas no final cada um deles terá valido a pena. O mais importante é que o atleta esteja ciente de que a paciência é a chave para conquistar bons resultados no bodybuilding, uma vez que será necessário um período muito maior de tempo para evoluir e modelar o corpo.

Em suma, para conseguir uma boa formação muscular serão necessários uma prática regular de exercícios físicos de resistência progressiva, uma dieta saudável e o auxílio dos suplementos alimentares para ganho de massa e energia – permitidos dentro da modalidade. Então, se você optar por esta modalidade, comece a partir de agora a trabalhar pesado!

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.