Ácido fólico engorda? A verdade sobre o assunto

Indicado, principalmente, para gestantes ou mulheres que esperam engravidar, a suplementação com o ácido fólico ainda é cercada de dúvidas, especialmente quando o assunto é o ganho de peso ocasionado pelo suplemento. Quer saber mais sobre a vitamina e se ela realmente engorda? Então confira a matéria completa da Madrugão a seguir!

As vitaminas e os minerais são nutrientes extremamente importantes para o desenvolvimento do corpo humano, além do seu essencial papel na nutrição. Algumas condições de saúde, assim como uma alimentação inadequada ou outro acontecimento, podem desencadear deficiências em determinados nutrientes, tornando necessário complementar a dieta por meio de suplementos alimentares ou complexos vitamínicos.

Outros nutrientes, ainda, podem necessitar da suplementação em algumas fases da vida, como é o caso do ácido fólico, que é indicado antes e durante a gravidez, por inúmeros motivos que beneficiam a saúde do bebê e da mãe. A substância também previne o surgimento de doenças, protege o coração e pode ser usada no tratamento de alguns tipos de anemia.

No entanto, apesar dos seus diversos benefícios, não é incomum encontrarmos pessoas deixando de suplementar o ácido fólico ou diminuindo o consumo de alimentos ricos no composto. A razão é que supostamente ele poderia contribuir com o aumento de peso. Mas, será que é isso mesmo ou esse é só mais um mito? 

Se você está grávida ou pretende engravidar e deixou de tomar o ácido fólico por medo de engordar demais, ou está em processo de emagrecimento e na dúvida se continua, ou não, com o suplemento, confira o artigo na íntegra para obter mais informações sobre a substância e descobrir, finalmente, se o ácido fólico engorda ou emagrece.

O que é o ácido fólico e para que serve?

Antes de descobrirmos se o ácido fólico provoca o ganho de peso, vamos primeiramente entender um pouco mais sobre ele.

O ácido fólico, também conhecido como folato ou vitamina B9, é um dos oito micronutrientes que compõe o grupo das vitaminas do complexo B, conhecidas por serem essenciais para a manutenção do organismo.

O folato é a forma do nutriente encontrada naturalmente nos alimentos, enquanto o ácido fólico é a versão sintética dessa vitamina, comercializada em forma de comprimidos ou cápsulas. A forma sintética também foi incluída na preparação de alguns alimentos na indústria alimentícia, como cereais frios, pães, massas, farinha e outros.

O ácido fólico é usado para o tratamento e prevenção dos baixos níveis sanguíneos de folato (carência do nutriente), assim como as suas complicações, que podem incluir anemia, má absorção de nutrientes pelo intestino e algumas condições relacionadas à deficiência da vitamina, como doenças hepáticas, alcoolismo e colite ulcerativa.

Alguns estudos em andamento ainda sugerem os efeitos vantajosos da substância na prevenção e tratamento de alguns tipos de câncer, como o câncer de cólon e o câncer de colo de útero. Outras pesquisas ainda mostram o suposto efeito do ácido fólico na prevenção de doenças cardíacas. A substância também é usada para ajudar a tratar a perda de memória, mal de alzheimer, osteoporose, problemas do sono, depressão, dores musculares, AIDS, vitiligo e algumas outras.

Fora essas condições, o suplemento de ácido fólico é indicado para:

  • Gravidez
  • Lactação
  • Anemia por deficiência de folato
  • Excesso de homocisteína
  • Quando houver deficiência medida no exame de sangue

Ácido fólico na gravidez

Um dos principais usos da suplementação com o ácido fólico é na gravidez. As mulheres que pretender engravidar são orientadas a iniciar a ingestão do composto, pelo menos um mês antes da fecundação. Quem já está grávida e ainda não toma a substância, deve iniciar a suplementação o quanto antes e prosseguir até em torno da 8° semana após a concepção ou segundo a orientação do obstetra.

A explicação para a importância dessa suplementação é simples: a vitamina B9 desempenha diversas funções no organismo do feto, inclusive na síntese e reparação do DNA, além da divisão e crescimento celular. Isso o torna fundamental para o desenvolvimento fetal e a formação do tubo neural, além de prevenir abortos.

Nesse período, apenas o consumo de alimentos fonte de ácido fólico não é o suficiente, pois as necessidades nutricionais no organismo da mulher na gravidez aumentam, sendo necessária a suplementação.

Ácido fólico engorda? Entenda

Chegou o momento de descobrir a verdade sobre essa substância, afinal, ela engorda mesmo?

Não, o ácido fólico não engorda!

A vitamina B9 é solúvel em água e, portanto, não é armazenada no organismo, sendo o seu excesso eliminado junto com a urina. Além disso, o ácido fólico é a forma sintética de uma vitamina e não contém calorias e, portanto, é inofensivo para a balança.

Se você faz o tratamento com o ácido fólico e notou alguma mudança no seu peso, possivelmente os quilos a mais são resultados de algum outro motivo não associado à suplementação com a vitamina.

Benefícios do ácido fólico

A vitamina oferece diversos benefícios para todas as fases da vida, entre eles podemos destacar:

  1. Importante antes e durante a gravidez;
  2. Benéfico especificamente para crianças, já que ajuda na fase de crescimento e desenvolvimento do organismo;
  3. Faz bem para a pele, unhas e cabelos;
  4. Fortalece a imunidade;
  5. Essencial para o desenvolvimento do sistema nervoso;
  6. Fundamental para a função cerebral adequada;
  7. Ajuda na perda de peso;
  8. Benéfico para a saúde do coração.

Alimentos ricos em Ácido Fólico

O folato é a forma natural da vitamina B9 encontrada nos alimentos. Se você quer aumentar a quantidade de ácido fólico na sua dieta, deve começar procurando pelos alimentos certos. São eles:

Feijão: essencial para quem está com pouca vitamina B9 no organismo. Ele também pode combater condições de saúde como a deficiência de ferro.

Grão de bico e a lentilha: alimentos muito saudáveis, que também contêm o ácido fólico.

Fígado: essa porção do animal é rica em B9.

Vegetais com tonalidade verde escura: o espinafre e o brócolis são alguns dos melhores eleitos para essa função.

Frutas: a banana, melão e limão são boas opções de frutas ricas em vitamina B9.

Qual a quantidade recomendada de ácido fólico?

As dosagens de ácido fólico variam de acordo com a idade, sexo e finalidade do tratamento de cada indivíduo. Por isso, antes de iniciar a suplementação com a vitamina B9 é indicado a consulta com um médico ou nutricionista, para que ele possa avaliar a necessidade do suplemento e as dosagens ideais. 

No caso de grávidas ou mulheres que pretendem engravidar, é sempre importante conversar com o médico obstetra antes de iniciar o uso de qualquer tipo de medicamento e suplemento, seja ele natural ou sintético.

Em geral, a dose recomendada de ácido fólico para mulheres grávidas ou que desejam engravidar é entre 400 a 600 mcg (microgramas) por dia, podendo ser prosseguida ou ajustada a dose durante a lactação para evitar a carência da vitamina. Para o tratamento da deficiência de vitamina B9 no sangue em adultos a indicação aproximada é de 250 mcg a 1 mg (miligramas) por dia, dependendo do grau da carência.

Para bebês de 0 a 6 meses a recomendação é de 65 mcg por dia, enquanto para bebês de 7 a 12 meses de idade a quantidade sobe para 80 mcg por dia. Em crianças maiores, são indicados 150 mcg por dia na faixa etária de 1 a 3 anos, 200 mcg por dia para 4 a 8 anos, 300 mcg por dia para 9 a 13 anos e 400 mcg por dia de 14 anos em diante.

Sintomas da deficiência de ácido fólico

A falta de ácido fólico no organismo pode comprometer o seu bom funcionamento e ser prejudicial para a saúde de qualquer pessoa. Entre as principais consequências da carência da vitamina, podemos destacar a anemia megaloblástica ou macrocítica, maior risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares, problemas na gravidez e no desenvolvimento do feto, atraso no desenvolvimento de crianças, cansaço, mau humor (irritabilidade), apatia, falta de apetite, demência e depressão.

Os sintomas da deficiência da vitamina B9 incluem cansaço e fraqueza muscular que persiste por mais de uma semana, pele pálida, textura diferente na língua, irritabilidade, distúrbios gastrointestinais (como por ex. diarreia), tontura, esquecimento e entre outros.

Ao perceber mais de um desses sintomas e desconfiar de uma possível carência em vitaminas, é importante buscar um médico para que ele possa solicitar exames de sangue para avaliação. 

Cuidados com a ingestão de ácido fólico

A ingestão exagerada de ácido fólico por um longo período pode resultar em uma deficiência de vitamina B12, o que pode causar danos ao sistema nervoso e anemia por deficiência de B12. Além disso, a overdose a partir dos suplementos pode resultar em problemas digestivos, dores estomacais e vômitos.

Onde comprar ácido fólico?

Há diversos fabricantes de ácido fólico. Para comprar é importante ter prescrição médica e saber a dosagem correta que precisa tomar. Clique aqui, e vejas as vitaminas disponíveis na nossa loja!

Restou alguma dúvida sobre o ácido fólico? Teremos prazer em responder! Deixe o seu comentário no campo abaixo.

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.