O que é Metabolismo acelerado? Quais são os sintomas? Entenda um pouco mais!

O que é Metabolismo?

Todos nós possuímos uma organela chamada mitocôndria, ela é a principal responsável por transformar a energia retirada dos alimentos em energia útil às células, exercendo papel fundamental na manutenção de várias funções celulares.

O que vai importar para nós é que ela determina nossa eficiência metabólica.
E essa eficiência metabólica que vai auxiliar na perda de peso, na hipertrofia, na capacidade de melhor desempenho nas modalidades esportivas e, atualmente, estuda-se que quanto mais mitocôndria nós temos maior o nosso nível de saúde.

O que é metabolismo lento? E como saber se eu tenho metabolismo acelerado? 

Já sabemos que não é ter metabolismo acelerado ou lento e sim ter, ou não eficiência metabólica. E o que determina a eficiência ou a ineficiência mitocondrial seria principalmente o nível de atividade física. Mas fatores como idade, sexo e estado de saúde influenciam a quantidade e qualidade das mitocôndrias. A atividade física aumenta a biogênese mitocondrial, ou seja, aumenta o número, o tamanho e a densidade da mitocôndria no músculo esquelético, e essa adaptação do exercício, melhora a eficiência mitocondrial.

Quais são os sintomas e vantagens de ter um metabolismo acelerado? E como desacelerar o metabolismo?

Não possuímos um botão de liga e desliga. Para que mudanças ocorram, precisamos mudar nosso estilo de vida. O exercício físico gera alguns ajustes fisiológicos, mudanças agudas e essas mudanças, ao longo do tempo, geraram adaptações. Por exemplo: um indivíduo que treina, porém, sua biogênese mitocondrial não é das melhores, o número e tamanho das mitocôndrias existentes não está bom.  Ele tem uma limitação na hora de treinar. Mas se esse indivíduo começar a treinar mais, o treino irá aumentar a biogênese mitocondrial. Então o exercício físico gera ajustes agudos, e na medida que esse indivíduo for treinando e esses ajustes agudos forem acontecendo de forma recorrente nós teremos adaptações.
Hoje sabemos que o exercício físico pode melhorar cognição, humor, aumentar a massa muscular, reduzir as concentrações de glicose, melhorar o perfil lipídico, diminuir os sintomas depressivos. Mas temos que considerar que, ao longo do tempo, temos variações ambientais, variações endógenas e exógenas que vão determinar se essa resposta vai ocorrer ou não. E uma delas é: novas demandas nutricionais também vão ocorrer. Então outro ponto importante é a compreensão dessas novas demandas, para saber quais nutrientes devem ser ofertados, em qual quantidade e qual proporção. O exercício físico modula nosso organismo e, a oferta nutricional (o alimento, os nutrientes, os compostos bioativos) maximiza essas modulações.

Você já se sentiu incomodado por que fez restrição energética e não emagreceu? 

Existe a hipótese da ineficiência mitocondrial. Mesmo que você aumente a lipólise (quebra da gordura), você tem uma eficiência mitocondrial baixa que faz com que você não consiga oxidar, ou seja, utilizar a gordura como substratos energéticos de forma adequada, ou seja, você não perde peso.
Se melhoramos a eficiência mitocondrial através do exercício físico, temos várias consequências:
— Melhora na oxidação lipídica (utilização de gordura como substratos energéticos);
— Cria-se um ambiente anabólico: com o aumento (dependendo do estímulo) e/ ou manutenção do tecido muscular, há o aumento do gasto energético em repouso;
— Se você faz exercícios aeróbicos mais eficientes, você aumenta o seu gasto energético total;
Com isso cria-se uma demanda metabólica elevada, que vai colaborar de forma mais relevante para um déficit calórico. Isto é consumo energético menor do que gasto e, cronicamente, colabora para a redução de gordura corporal.

E como fazer para ganhar peso?

Depois de tudo que aprendemos até aqui, vamos reformular essa pergunta:
Como aumentar a minha eficiência mitocondrial para o aumento de massa magra ou hipertrofia muscular?
Vamos entender que o exercício físico para nós é um importante sinalizador, isto é, o exercício físico gera uma série de sinais para esse efeito biológico, neste caso a hipertrofia.
O exercício físico resistido aumenta a síntese proteica muscular, diminui a degradação/catabolismo proteico muscular e aumenta a sensibilidade aminoacídica (capacidade do músculo de captar aminoácido).  A magnitude deste sinal depende de alguns fatores, como volume, intensidade e tipo de exercício físico. O que vai influenciar na magnitude do sinal emitido é o Status Nutricional (nutrientes disponíveis no meu organismo). Por isso, o acompanhamento com um profissional nutricionista e médico é tão importante.
O treinamento físico resistido combinado com nutrição de suporte é uma estratégia eficaz para alcançar a hipertrofia muscular. O profissional nutricionista irá avaliar seu estado de saúde, estado nutricional, entender suas metas, objetivos e junto com você irá elaborar um cardápio individualizado (com suplementação, se necessário), de acordo com a suas necessidades.

Quais as vantagens?

Quando há uma melhora na eficiência mitocondrial, além da perda de peso, hipertrofia, melhora de desempenho esportivo (ou qual seja o objetivo traçado), há uma melhora no fator mais importante e comum que todos buscam: a saúde.

Leave a Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.